30/01/2018

Indicação: Rip Tide

Olá, pessoal!

Hoje eu vim indicar um filme para vocês, que conheci através da Netflix. Lembram que eu prometi assistir mais filmes em 2018? Pois bem, por que não começar a cumprir essa promessa logo?

A jovem modelo Cora (Debby Ryan) é filha da chefe da melhor agência de modelo, e sempre trabalhou duro para atender as expectativas das mãe (Danielle Carter). Quando um vídeo caindo se torna um viral, Cora vai passar um tempo na Austrália com sua tia Margot (Genevieve Hegney). Margot também está passando por suas próprias dificuldades, e juntas elas terão uma experiência de aprendizado.

Talvez esse não seja aquele filme para quem busca uma grande história com uma grande mensagem final, mas recomendo aos que buscam um filme mais leve, para assistir junto da família. Rip Tide é uma ótima pedida, tenham certeza. ♥

27/01/2018

Projeto: Relendo Harry Potter


Olá, pessoal! Tudo bem com vocês?
No ano passado a Izabela, do Brincando de Escritora, apresentou um projeto de releitura da saga Harry Potter. Eu fiquei muito tentada a participar da releitura junto com ela, mas não consegui. Esse ano, porém, colocarei a saga como meta de releitura. Se vocês também sentirem vontade de participar dessa releitura, junte-se a mim e embarcaremos novamente nessa história incrível.

Como o mês de janeiro já está no fim, o projeto será iniciado por mim em fevereiro. Mas vocês podem começar quando sentirem vontade. Vai haver um dia, ainda indefinido, onde iremos discutir sobre o livro. Espero que gostem do projeto e que acompanhem tudo que vai rolar ♥


25/01/2018

Resenha: A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil

Resenha: Como viagem do mês de setembro de 2017 do Turista Literário, nós, os assinantes, fomos agraciados com A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil. Mas, ao contrário da maioria que ficou satisfeitíssima com a surpresa, eu fiquei receosa, já que nunca havia lido uma história do gênero ficção-científica.

Eu sabia de muitas coisas antes de finalmente começar a ler esse livro: sabia que milhares de pessoas haviam gostado, que, mesmo que eu viesse a lê-lo, era provável que eu o abandonasse, sabia também que mesmo que se eu conseguisse finalizá-lo, ele não seria favorito. Mas o principal: eu sabia que queria muito conhecê-lo. É difícil de explicar, mas foi exatamente assim que aconteceu.

Mas devo confessar que o início da leitura me surpreendeu, confuso foi, não minto, mas não tive aquela vontade de largá-lo logo de cara. Ele fluía com facilidade. Esse é um ponto positivo do livro, por mais que você não entenda completamente, isso não faz com que você pare de ler. A história gira em torno da nave Andarilha e de seus ocupantes interespécies. Contratados para fazer perfurações entre os planetas, eles se deparam com uma proposta irrecusável: fazer uma perfuração entre Hedra Ka e o Espaço Central . Mesmo cientes que os habitantes daquele planeta, os Toremis, são difíceis de lidar, eles aceitam a proposta.

23/01/2018

PROJETO PRÓXIMO CAPÍTULO

"Se quer ir rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá em grupo."

Provérbio Africano

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês?

O Livro Apaixonado embarcou em mais um projeto esse ano, o projeto Próximo Capítulo. Em parceria com vários blogs, traremos posts pra lá de especiais.


Próximo Capítulo significa a próxima leitura, aquilo que você pode ler depois e nós esperamos que você goste do que irá ler aqui no Livro Apaixonado e nos nossos parceiros. Mês que vem já estará disponível o primeiro post do projeto, fique atento nas nossas redes sociais para nos acompanhar e sinta-se livre para conferir os blogs literários, são todos feitos com muito amor e responsabilidade.


Criamos o Próximo Capítulo com o intuito de ser, não apenas um projeto sobre livros, mas uma forma de dizer sobre eles de uma jeito diferente com opiniões e gostos diferentes. Assim, a cada post que você encontrar aqui no Livro Apaixonado, também será encontrado nos blogs parceiros abaixo:

18/01/2018

Tudo que vai, volta.

Muitos não acreditam na Lei do Retorno, onde tudo que vai, volta. Talvez seja medo. Talvez seja por não acreditar mesmo.

Antes dos acontecimentos de 2017, eu quase não pensava muito nisso. Não era algo que me fazia refletir. Mas depois... Fico me perguntando se não existe mesmo essa Lei. Se ela não traz a justiça que todos buscam.

Não sei bem porque estou falando isso com vocês aqui, já que não pretendo comentar maiores detalhes, mas fica aqui o questionamento: tudo que vai, volta? E se volta, em que proporção? Existe uma balança que confere se a justiça foi feita corretamente para ambos os lados?





16/01/2018

"Argh, esse bloqueio criativo!"


Tem gente que gosta de dizer que é só uma fase, que logo logo passa. Até mesmo nós, que sofremos com o bloqueio criativo sabemos que logo logo passa. Mas, ainda assim, é impossível não se sentir chateado com a situação.

Os dias vão passando, vão se passando semanas e meses e você não consegue fazer absolutamente nada. Talvez eu devesse ter feito esse post com uma solução, mas, infelizmente, não consigo encontrar uma forma de ajudar a vocês.

Nesse exato momento estou passando por um bloqueio criativo. Nada me inspira, tudo me desagrada. Foi por isso que resolvi fazer esse post que, talvez, daqui a algum tempo, seja apagado. Para expressar essa minha frustração com a minha mente, que não consegue se reorganizar para produzir conteúdo legal para vocês.

Eu devia ter bebido no Natal e no Ano Novo, ia poder usar isso como desculpa.

13/01/2018

Os personagens mais marcantes de 2017

Ano passado eu li pouco, muito abaixo da meta que havia proposto, de 50 livros, mas somente com os 31 lidos eu pude conhecer milhares de personagens marcantes e hoje irei mostrar para vocês quais foram os cinco personagens mais marcantes de 2017.


O primeiro deles é Jack, do livro Quarto (filme: O Quarto de Jack).



Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

A segunda personagem mais marcante de 2017 é Ada, de A Guerra Que Salvou A Minha Vida.


Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor. Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa. Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios.
Em terceiro lugar, a personagem Florence do livro A Menina Que Não Sabia Ler. Apesar dos pesares, foi impossível não me afeiçoar a garota.

1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?

E como não poderia deixar de ser, o quarto personagem marcante de 2017 é Mike, do livro Ecos.


Ecos, da premiada escritora norte-americana Pam Muñoz Ryan, é uma fábula como há muito não se via – ou se ouvia. Um conto de fadas dark, que resgata o melhor da tradição dos irmãos Grimm, combinado com delicados momentos do século XX, como as duas grandes guerras e a Depressão econômica que assolou os Estados Unidos nos anos 1930. O resultado é uma fantasia histórica repleta de perigos e beleza, emoldurada pelo poder da música. A aventura começa cinquenta anos antes da Primeira Guerra Mundial — “a guerra para acabar com todas as guerras” —, quando o pequeno Otto se perde na Floresta Negra e encontra as três irmãs encantadas, prisioneiras de uma velha bruxa, que conhecia apenas das páginas de um livro, e acreditava ser apenas uma lenda. Como em um passe de mágica, as irmãs ajudam o garoto a encontrar o caminho de casa. E Otto promete libertá-las, levando o espírito das três dentro de uma inusitada gaita de boca. Ao longo dos anos, o instrumento chega à mão de novos donos: um menino que vê o sonho de se tornar músico interrompido pela ascensão do nazismo; um jovem pianista prodígio que vive num orfanato e luta para não ser separado do irmão caçula; uma filha de imigrantes mexicanos que cuidam de uma casa de japoneses enviados a um campo de concentração dentro dos Estados Unidos, durante a Segunda Guerra Mundial. Personagens com dramas diferentes, mas um amor transformador pela música. Cada um à sua maneira, eles são afetados pela magia das três irmãs. Assim como os leitores do livro em todos os países em que ECOS foi lançado. Prepare-se para também ser arrebatado e enfeitiçado por essa fábula harmônica.

E o quinto e último personagem marcante de 2017 é Anthony Fasano, de A Garota do Calendário - Março.

Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva.